terça-feira, 26 de abril de 2011

Narração - 1º ano do Ensino Médio.

Narração é uma modalidade textual, a qual é reconhecida por uma história, apresentada de várias formas, mas que para ser criada e desenvolvida precisa obrigatoriamente de seis elementos que a compõe, sem necessariamente seguir uma ordem hierárquica


Vamos conhecer os seis elementos fundamentais para uma narrativa:
ENREDO:não vem a ser a história, como muitos pensam, mas sim, o desenvolver da mesma, isto é, a sequencia dos fatos apresentados e desenvolvidos na história.


CONFLITO: as histórias para prenderem a atenção do leitor, despertando e interesse do mesmo, necessita que a harmonia seja quebrada, a fim de que a trama se desenrole.
Clímax: pertence ao enredo e, principalmente ao conflito, já que vem a ser o ponto máximo de tensão da história, intensificando assim, o próprio conflito. O clímax indica a proximidade do desfecho.

PERSONAGENS: é sobre quem se trata a história. Não devemos apenas reconhecê-lo como pessoas, pois existem histórias as quais as personagens não são identificadas como pessoas, mas que nem por isso perdem seu valor ou importância, como fábulas ou apólogos.
OBS: devemos identificar personagens no gênero feminino, já que a palavra deriva de persona que significa pessoa.

A personagem segundo sua função, pode ser:
PROTAGONISTA: figura central.
ANTAGONISTA: figura que se opõe à central. Há narrativas em que o antagonista não existe.
NARRADOR:quando o texto é narrado em primeira pessoa.
SECUNDÁRIA: a sua atuação é limitada quanto a mudar o curso das ações.

QUANTO AO CARÁTER, A PERSONAGEM PODE SER:
INDIVÍDUO: caracteriza-se por impor sua personalidade, pois tem caráter próprio, e por definir-se entre os demais pela sua força humana e aptidões pessoais.
TIPO: é uma forma simples de personificação. Representa uma média comum de indivíduos com as mesmas qualidades: defeitos, virtudes, vícios. Ex: jurados de televisão, onde uns fazem papel de bonzinhos, outros de rabugentos etc.

CARICATURA: personagem vista, normalmente, sob um ângulo, ridículo. É o exagero de qualidades ou defeitos apontados no tipo. Um ser exótico ou anormal.

QUANTO À ESTRUTURAÇÃO PSICOLÓGICA
ESFÉRICA: apresenta complexidade de caráter, com variadas facetas comportamentais. Aproxima-se bastante da complexidade psicológica do ser humano, com vários de seus conflitos internos. É também chamada de COMPLEXA.

PLANA: destituída de profundidade psicológica. Não muda seu comportamento durante toda a estória. No geral, apresenta uma única faceta de personalidade. Um exemplo são os personagens infantis das HQs.Também chamada de personagem ESTÁTICA.


TEMPO:é a velocidade com que a narrativa se movimenta. Pode ser: CRONOLÓGICO – tempo material; externo; é o que se move pelo relógio,pela sucessividade das horas, dos dias e das noites...
PSICOLÓGICO: tempo interno, imensurável. Varia de indivíduo para indivíduo. É o recuo a um tempo não presente para torná-lo presente. São as reminiscências, a retrospectiva, a reflexão e a intensidade das emõções.

ESPAÇO: é o lugar, o ambiente onde se desenvolve a ação. O espaço serve não só como cenário para as ações das personagens como também intensifica alguns elementos do enredo.
NARRADOR: é a pessoa que conta a história. Pode ser o próprio escritor (narrador não personagem), ou então, ele cria uma personagem para contar (narrador personagem).

FOCO NARRATIVO: é o modo de narrar a história, resolver a situação ambiente, fazer evoluir a narrativa. Pode ser feito na primeira ou terceira pessoa.
Na terceira pessoa, o narrador tem a visão dos fatos, de fora, ele é apenas testemunha. Pode assumir a atitude de:
NARRADOR ONISCIENTE: é o que sabe tudo quanto ocorreu; ele penetra até a consciência das pessoas, revelando o que pensam e o que sentem.

EXEMPLO:
“ seu estômago, porém, está oco. Uma dor lhe sobe por dentro do peito, até o pescoço,a garganta. Sente uma debilidade na cabeça, espécie de uma leve sonolência, como quando tem febre. Entretanto está com a testa fresca. Sabe, que se comer tudo isso, desaparece. Mas como perder essa oportunidade?
Ele vê os seus cinco mil réis multiplicando-se...”

NARRADOR OBSERVADOR: conta a história como mero observador de acontecimentos, dos quais não participa diretamente. Passa para o leitor os fatos como os teria enxergado.
 


    
EXEMPLO
 “ Do fundo de Pernambuco, o pai mandou-lhe um telegrama. O rapaz releu sob emoção grave. Ainda bem que o velho avisara: em cima da hora, mas avisara. O rapaz saiu correndo para não perder o encontro, o qual poderia mudar a sua vida”.

NARRADOR PERSONAGEM: uma personagem narra a história. Nesse caso, o campo de visão é bastante limitado.

Exemplo:
  “ Completando a gravura cor-de-rosa, senti de supetão que tinha mais alguém  na sala; virei, Maria estava na porta, olhando pra mim e rindo, toda vestida de preto. Foi este um dos quatro amores de minha vida...”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário